2.3.07

in the middle of nowhere



calcei-me de violeta e disse-te adeus. pé ante pé regresso aos trilhos equilibro os passos na ausência. na mala apenas esta cor e o exílio em que guardo a tua imagem.




foto de krzysztof falcman

29 comentários:

Pedro Branco disse...

Apaixono-me por estas cores a cada trilho. E o caminho torna-se mais azul.

Beijo.

musalia disse...

gosto do tom dos sapatos :)
o caminho é um outro começo.

beijo.

nameless as a desire disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
nameless as a desire disse...

Há momentos em que as tuas palavras são espelhos.
E emprestas cores a outras ausências igualmente necessárias. Violeta, parece-me uma boa escolha. Até porque, na frequência de nanómetros abaixo, a luz deixa de ser visível e os passos voltam a tropeçar.

aldina disse...

A cor, ou a ausência dela, é uma presença a que jamais seremos indiferentes seja qual for a viagem...

Até sempre

musalia disse...

nameless as a desire

tropeçamos em plena luz, basta uma pequena distracção.
de nanómetros nada entendo:)
(curioso, não consigo aceder ao teu espaço...)

musalia disse...

verdade, Aldina:)
a cor a sua ausência depende do que o nosso olhar necessita. depende dos momentos.

até sempre:)

Alphynho disse...

Antes de fazeres uma coisa dessas, num te esqueças de ver o horário dos comboios ou ainda há algum acidente lol

Conceição Bernardino disse...

Olá,

Melhores flores

As melhores flores e
Cores espalhadas em
Manchas
Largas de caminhos
Pisoteados marcados por
Anónimos passos

Poema do livro “Múltiplos de ti” da autora Marita Ferreira

É esta a flor que vos ofereço...
Bom fim-de-semana
Beijinhos Conceição Bernardino
http://amanhecer-palavrasousadas.blogspot.com

musalia disse...

esta é uma linha desabitada:)
um beijo, Alphy.

musalia disse...

conceição bernardino

bom fim de semana :)
um beijo.

Alphynho disse...

Se fosse uma linha desabitada, não estaria ali uma munina com uma mala na mão e uns sapatos de côr muito duvidosa lol

Parrot disse...

Os passos na ausência.....terrivel.
:(

beijo

musalia disse...

talvez a 'munina' queira caminhar na paisagem agora despovoada. talvez necesite de uma 'travessia' solitária. talvez...
(e a natureza não é um 'quadro' inumano...)
Alohy:)

musalia disse...

pois, Parrot, e que são os passos?...quase todos dados na ausência. mas vivos nos pensamentos;)

beijo.

maria josé quintela disse...

há uma cor para cada ausência. e desbota com o tempo.

Sophia disse...

A cada cor se atribui um sentimento...
O equilíbrio torna-se mais complicado quando se volta a caminhar sozinho...

:) baci

Alphynho disse...

Eu bem queria diser alguma coisa de jeito, mas aqueles çapatinhos violeta impedem o bom funsionamento do meu meio neuronio :oD

laerce disse...

Olá moriana,

há uma música dos Talking Heads: running to nowhere de que gosto muito. Este título fez-me lembrar dela.

Seguramente que a menina espera o amada com quem fugirá sabe-se lá para onde. E se não for seguramente não faz mal.

Um beijinho

musalia disse...

maria josé quintela

penso no branco. como reunião de todas as cores. e, ao mesmo tempo a sua ausência. sem que desbotem:)

musalia disse...

a simbologia das cores, Sophia?
:)

baci.

musalia disse...

alphy, o que necessitas é de um chá de limão bem quente ;)

beijocas (espirra para longe, sff)

musalia disse...

laerce,

pois claro, fugir ou não fugir, eis a questão. nada importante...

beijinhos.

Bruna Pereira disse...

O caminho é longo. A mala pesa e não tens lá nada.
E o combpio nem sempre passa à mesma hora.
Resta esperar que não chova...

:)

musalia disse...

bruna, são muitos 'ses':) o melhor é arriscar, talvez não se queira apanhar o comboio, talvez nem passe comboio, talvez não chova ou...talvez chova.
e agora são muitos 'talvez' ;)

Filipe disse...

Eu queria elogiar os teus escritos mas tenho medo; merda pró medo, venha a verdade:
Os teus escritos são a melhor poesia que já encontrei na vida.

musalia disse...

filipe, obrigada, palavras muito gentis:) independentemente de concordar ou deixar de concordar, fez-me bem ler o teu comentário.
neste momento, foi o melhor que já li na vida;)

Menina dos olhos de água disse...

Na ausência os trilhos tornam-se mais estreitos, o equilíbrio mais difícil. Mas é necessário fazer o caminho para gastar os sapatos roxos. mudar-lhes a cor.

Gostei do mala apenas com uma cor, da música de fundo. Vou linkar-te ao meu blog, ok? E passar por cá mais vezes :)

musalia disse...

menina dos olhos de água, bem vinda ao meu espaço. obrigada pelas palavras e, claro! podes colocar um link! eu é que agradeço!
volta sempre.

um beijo.