16.4.07

o azul insuportavelmente longínquo

foto de introvertevent




mordendo a linha dos lábios
em busca do impossível repouso,
o poema.

25 comentários:

Hugo Milhanas Machado disse...

Belíssimo Moriana, belíssimo.

Sophia disse...

Sabes o que me ocorreu logo o céu, só pelo título... é o único azul que gostaria de um dia ter ao alcance dos sentidos! :) It's another beautiful day!
Adoro mesmo ler-te! Fazes-me sonhar!

;) Baci

Menina dos olhos de água disse...

Impressionas-me sempre que aqui venho. Com tão poucas palavras dizes tanto...

Beijinho :)

Bruna Pereira disse...

A linha do poema traça-se proporcionalmente a par da linha longitudinal do beijo.
Às vezes.

:)

Pedro Branco disse...

Abandono as minhas mãos às palavras. Para que elas me levem a ti. A ti. A ti. E a ti também. Por isso não tenho descanso...

bruno .b.c disse...

belíssimo, Musalia.
muito mesmo. o título,
e a elipse do primeiro
verso com a longínqua
linha do horizonte. tudo
muito bem. um beijo
(também se 'o poema'
se ocultasse no final
não ficaria mal não
senhora a terminar no ar
na palavra 'repouso') mais
um abraço, hoje
azul.

Phoenix disse...

é a primeira vez que por aqui passo mas confesso que adorei e vou voltar sempre que algo de novo aqui se escreva, até me viciar nas tuas belas palavras..fazem-me sentir bem
bjinho :D

Yardbird disse...

O teu blog está cada vez mais tu.
Beijinho, Mori

musalia disse...

gentileza tua, Hugo :)
(final de tarde tomando chá com bolacha francesa - Continental - vinda da fac :)

musalia disse...

que as minhas palavras não te faltem! céu e sonho e muitos what a wonderfull life (day) ;)
baci.

musalia disse...

menina dos olhos de água, confesso: sou minimalista, é certo:)
(nos espaços também. amplos, claros, dançantes)
;)

musalia disse...

bruna

às vezes, dizes bem. há poemas bem amargos...e beijos, também;)

musalia disse...

Pedro Branco

é bom que não tenham descanso, as tuas mãos. ou as palavras cairiam, magoadas.

um beijo.

musalia disse...

bruno béu c. :)

gosto dos malmequeres, das flores campestres. violetas, adoro. e de poemas. suspensos, soltos, colados aos olhos e à alma. e isso leva-me a um verso muito belo:' i heard something crying and it was my soul' (adivinha qual o grupo que a entoa?)
beijo não suspenso, azul, seja.

musalia disse...

phoenix, és bem vindo:) senta-te perto, eu vou estender-me no chão, como gosto. conversemos, com palavras.
(embora hoje esteja muito cansada. amanhã será)

bj.

musalia disse...

yardbird, mudo de perspectiva, de quando em vez. mas continuo sendo. ao sabor do devir. e ainda permaneço.

beijinho.

Unicus disse...

..um pouco mais de azul..;)
Beijinhos, Moriana******

helena disse...

Como sempre, minha querida.
Maravilhoso!
É nesse azul que acredito, embora tão difícil de atingir, tal como o poema que nunca é repouso. Doloroso, sim, como qualquer acto criativo.
Beijinhos

musalia disse...

unicus

conheço o poema :)

um beijo.

musalia disse...

helena,

o azul. sei que é a tonalidade da tua preferência:)
tudo o que conseguimos atingir tem um sabor de vitória. dura pouco, porém. é que depressa nos sentimos inquietos por novas descobertas, novas metas. aqui, a dor, é a saciação. o que nos impele a continuar é a procura, sempre eterna.

beijinhos.

Menina dos olhos de água disse...

E ainda bem que és isso a que chamas de minimalista :)

laerce disse...

"mordendo", acção continuada no passado ou no presente ou no futuro.

Um beijinho

musalia disse...

menina dos olhos de água

lembro-me sempre desta frase: 'less is more' :)

musalia disse...

laerce

sei que não o teu tempo preferido. mas existe e não se pode evitá-lo. pelo menos, sempre:)

beijinhos.

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

...*