10.5.07

sem cessar, o coração dos lírios...

foto de katia chausheva



estranha carícia a das sombras quando
amar foi um acaso estéril

26 comentários:

Sophia disse...

Acho que amar é sempre um acaso!
Mas talvez este acaso seja o da esterilidade do amor? Aí sim, buscamos o refúgio das sombras...

Adorei a foto!

;) Baci

gato_escaldado disse...

Belos os lírios. Caricias guardadas na pele, "malgré tous"...

Beijos

Cometa 2000 disse...

pode ter sido amor? pode o amor em si saber ser estéril? se não sabe fazer mais do que fecundar...

helena disse...

As sombras do que poderia ter sido...se não fosse...
Beijinho grande

Joaquim Sobral Gil disse...

Estéreis as sombras do amor,
quando o amar
foge de nós,
quando a vida acaricia pouco,
quando o vento
esbofeteia.
Aí, as sombras acariciam,
a água, o ar, o fogo e a terra
lançam seus berços,
lançam seus braços...

AntonioJoaoMito disse...

Retornamos sempre às sombras, não importa o tempo que a luz nos fere.
Os afectos serão mais nossos quanto menos visíveis.Mas igualmente cada vez mais solitários...

sophiarui disse...

o branco das sombras...

Briel Aitt disse...

seu blog é arte pura.. lindo!! possa adicionar ao meu????

magarça disse...

De acaso em acaso, para encontrar um amor fecundo!

musalia disse...

Sophia

há acasos que nos levam a caminhos inesperados, uns agradáveis, outros não tanto. talvez os afectos sejam assim ou então...não nos levam a lado nenhum, quem sabe - acabei de escrever estas frases e lembrei-me de John Berger, na obra citada um post abaixo: 'o elevador de Santa Justa não leva a lado nenhum(...) é como ver um filme, por isso choramos muitas vezes' - o sentido é este, a emoção sobe e acaba por descer, desfeita em lágrimas...
(acho que o elevador sempre nos conduz das ruas da Baixa ao Bairro Alto :)

ena! que comentário extensissimo!!!
;)
bjs.

musalia disse...

é tempo deles, nos campos, matizados com malmequeres brancos e amrelos e papoilas, as belas e frágeis papoilas!!

um beijo para os dois, gatinho:)

musalia disse...

cometa 200, complexa a pergunta e muito mais a resposta. não sei :)~
teríamos de considerar o emissor e o receptor, ou dois emissores e dois receptores, talvez.
várias razões para ser estéril, múltiplas razões, creio...

musalia disse...

helena, sendo, nem sempre pode ser. a impossibilidade na certeza.
pois, complexo :)

beijinhos (responder-te-ei em breve)

musalia disse...

joaquim sobral gil, o que não conseguimos controlar, é isso, o imponderável...

beijo.

musalia disse...

antoniojoaomito

se os guardamos, ferem-nos menos? talvez.
procuremos, então a solidão e as sombras ;)

musalia disse...

sophiarui

o abrigo das sombras, também. seguro...

musalia disse...

briel aitt, bem vindo ao meu canto dos pensamentos:)
claro que podes adicionar-me!
obrigada pelas palavras, volta sempre.

musalia disse...

magarça, e por um acaso menos estéril, encontrar-se-à o afecto-amizade-cumplicidade...

Unicus disse...

.e ainda assim resta sempre algo desse amor estéril. retém-se na memória, torturando às vezes. Essas são as verdadeiras sombras..
Beijos, Moriana

musalia disse...

unicus, o que foi estéril deixa memórias? talvez...

um beijo.

Menina dos olhos de água disse...

Gosto de acasos e de lírios :)

Beijinho!

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

eu ainda estou suspensa na belíssima fragilidade desta imagem....*

musalia disse...

eu também, menina dos olhos de água
:)

musalia disse...

inês leal, as imagens desta fotógrafa são belissimas, de facto :)

laerce disse...

contesto. O amor nunca é estéril, dele podem brotar coisas boas ou ruins.

Também gosto de lírios dessa cor.

Um beijinho

musalia disse...

laerce

contestação aceite. por respeitada, não por concordância:)
as boas são bem vindas. as ruins, lanço-as ao vento...

beijinho.