20.6.07

eternity


momento infinito é quando me afagas com o beijo de ontem...




foto de katia chausheva

32 comentários:

Alina Chau disse...

beautiful expressive photography you have here!!

Sophia disse...

E que se não for eterno que possa durar enquanto há vida!
Baci ;)

musalia disse...

thank you so much, Alina! it's Katia Chausheva's :)
see you soon.

musalia disse...

o futuro não sabemos, o presente está em mutação, o passado permanece. deste modo, podemos dizer que é uma forma de eternização...

bjs., sophia :)

Mateso disse...

...O ontem revisitado no beijo finito
do hoje...
Lindo, mas sempre...
Bj.

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

quando tudo é eterno, ao mesmo tempo...*

musalia disse...

mateso, sempre?!...melancólico, sim, é isso, é assim a minha escrita;)
mas não é revisitação ao passado é a constatação de que o presente pode não existir. ou seja, mal se pensou quanso se passa ao acto já é passado.
pois, teoria complicada...

musalia disse...

inês, a eternidade estará sujeita a mutação? não sei...
:)

FC disse...

Lindo espaço... parabéns

;)

Cometa 2000 disse...

musalia, que post bonito...
a fotografia, as palavras, o seu sentido (ou o que tiro para mim)...

como se numa coisa simples e pequena soprasse suavemente o mistério do que é eterno. e sopra (digo eu)...

porque fica e vive!

sinceramente, boa noite.

laerce disse...

Moriana,

O beijo de ontem é o hoje, assim infinito eterno afago.

beijinhos

musalia disse...

obrigada FC, pela visita e pelas palavras.

musalia disse...

cometa 2000, reflecti assim, de facto. esse momento, afinal tão simples:)
és gentil, a foto é belissima, sim.

um dia com sol.

musalia disse...

laerce

mas o beijo de hoje não será, nunca, o de ontem ;)

beijinhos.

Anaïs disse...

Tudo muito belo. Vou voltar a esta «terra», de certeza.

K disse...

Por vezes a eternidade pode ficar supensa num beijo que nunca foi dado...

helena disse...

Ausente tem estado o meu afago, querida amiga.
Ausente de mim, de quase tudo me encontro, embora tente vislumbrar o infinito.

Belas palavras as tuas.

As minhas ...cada vez mais pobres , fechadas na riqueza do silêncio

Um beijo

maria josé quintela disse...

belíssimo poema cheio de significado!

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

pediram-me para escolher 7 Maravilhas da Blogoesfera e
este foi um dos blogs que escolhi. :)*

(o regulamento pode ser visto em: http://ideiasprivadas.blogspot.com/2007/06/7-maravilhas-da-blogoesfera.html)

Negras Costas do Tempo disse...

Moriana,

Obrigado pelo apadrinhamento. E sim: Javier Marías. Quem mais?

Abraço.

CNS disse...

Quantos longos momentos terá amanhã o beijo de hoje?

joão marinheiro disse...

Eternidade de olhos fechados...

Tiago disse...

Obrigado pelo comentário! Gostei do teu blog... para mim, um pouco abstracto, mas interessante... mesmo que eu não acredite em eternidade. ;P

musalia disse...

anaïs, obrigada, volta sempre :)

musalia disse...

quem sabe, k...:)

musalia disse...

helena, não se pode eternizar o que é finito...

beijinho:)

musalia disse...

maria josé quintela, olá:)
tenho de admitir, pleno, sm...

musalia disse...

inês, obrigada pela distinção (não creio merecê-la, sinceramente). um obrigada, bem musical;)

musalia disse...

Javier Marias... quem mais, é certo ...
:)

musalia disse...

cristina, incontáveis, provavelmente :)

musalia disse...

joão marinheiro, morrer é fim ou recomeço?

musalia disse...

Tiago, nada a agradecer:)
abstrairmo-nos da realidade, nua e crua, sabendo, no entanto, que fazemos parte dela ;)