5.7.07

there's no willis...



[...] foi então que dei por mim a existir para lá da tua morte, como se asfixiasse. mas o passado não é senão um sonho. uma brincadeira com clepsidras avariadas e algum sangue.
não vale a pena estar triste.
todas as histórias, todas as mortes, acabam por se apagar
.

Al Berto, o último coração do sonho



foto de gundega dege

20 comentários:

Filipe Oliveira disse...

Eu costumo dizer: "Mal de quem cá fica", mas todos olham para mim sem compreender.

Zig disse...

Curiosamente só te venho visitar aqui depois de um "reset" emocional. Como o último foi já há muito tempo, já há muito tempo não vinha para aqui.

Continua a ser um bom blog!

bjs.

Sophia disse...

Sim. Não deixa de ser verdade.
Só que às vezes vale a pena estar triste, porque é o que faz mais sentido ao coração.
Também adorei a foto.

;) Baci

Bruna Pereira disse...

Este senhor é uma verdadeira peçonha. Das boas. Uma vez que se começa a ler.... Aquilo espalha-se pelo corpo todo!

:)

CNS disse...

"o passado não é senão um sonho"...
Sonharemos nós as nossas memórias?

bjs

Cometa 2000 disse...

Musalia, sempre encantador este blog, sempre a fazer-me pensar...

"não vale a pena estar triste.
todas as histórias, todas as mortes, acabam por se apagar."

há mortes que nunca esquecerei. e sempre que as lembrar chorarei (e estar triste não me parece que tenha que ver com valer a pena ou não... digo eu...). por isto vivem.

gosto de al berto mas num mundo relativo são absolutismos demais...

:) percebo que está a falar num tempo lato... que nos ultrapassa... mas - esse! - interessa assim tanto?

Bom fim de semana.

Mateso disse...

O tempo que transcende ao ser... memórias, dores que perpassam em vidas, sonhos em clepsidras partidas... Al Berto.. sempre.
Bj.

Aprendiz de Viajante disse...

Gosto muito das palavras do Al Berto, já li vezes sem conta o Anjo Mudo, gosto tanto...

Não interessa se não deres continuidade ao prémio, eu atribuí a ti porque adoro mesmo passar por aqui, embora quase sempre em silêncio porque o tempo urge! Compreendo-te bem.

Um bjinho e bom fds

Joana disse...

hummm...Al Berto, as palavras como bouquets! Deslumbrante!
E sabes? Não vale mesmo a pena estar triste...tudo passa.

Beijinho grande

musalia disse...

filipe oliveira, mas eu compreendo-te...
volta sempre:)

musalia disse...

zig, a tua presença é sempre bem vinda:)
(já vi que continuas com essa paixão antiga)

um beijo.

musalia disse...

o coração só quer respirar sossegado;)

bjs.

musalia disse...

é mesmo, Bruna:) e ali acima continua...
:)

musalia disse...

cristina, claro, por vezes...muitas vezes:)

bjs.

musalia disse...

cometa 2000:) Al Berto morreu cedo demais, sabendo que ia morrer...
e apagam-se, sim, as histórias, as mortes. não sobreviveriamos se assim não fosse.
e há sempre algo a começar...valha-nos isso.

boa semana para ti:)

musalia disse...

mateso, neste momento prefiro as suas palavras...às minhas :)
bj.

musalia disse...

aprendiz de viajante, uma voz das ilhas, as nossas:)
gosto do silêncio, 'nothing to declare' to that ;)

beijo e desejos de uma excelente semana.

musalia disse...

joana, terás razão. mas prefiro a melancolia (como se pudesse livrar-me dela;)

beijinho.

Naeno disse...

pra ti já nesta manhã, chata

Triste pássaro
Vi em teu olhar
Na hora do Adeus
Enquanto o táxi
Singra nas ruas da cidade
Eu mergulho na visão de antigos casarões
Triste andorinha
Vi em tua face
Da hora do adeus
Enquanto o táxi
Fere a noite da cidade
Busco teu riso em solitárias canções

Esta canção não diz da minha dor
Nem da medida da minha solidão
Era pra ser uma canção de amor
Ficou somente uma triste canção
Senti-me então um pássaro sem asa
Eu não sou mais um pássro voador
Enquanto o táxi deixava a nossa casa
Em direção a solidão sem cor.

Naeno
Um beijo

musalia disse...

hoje, a manhã sorriu. o sol, sem chuva. embora a chuva também saiba alegrar-se. :)
poema bonito, obrigada por te-lo deixado cair, aqui, neste espaço.

bj.