2.8.07

e durante a ausência...



En septembre

Parmi la chaleur accablante
Dont nous torréfia l'été,
Voici se glisser, encor lente
Et timide, à la vérité,(...)
Voici venir la brise, dis-je,
La brise aux sursauts courageux...
Et qui gourmande la paresse
Du poëte et de l'ouvrier,
Qui les encourage et les presse...
" Vive la brise ! " il faut crier :
" Vive la brise, enfin, d'automne
Après tous ces simouns d'enfer,
La bonne brise qui nous donne
Ce sain premier frisson d'hiver ! "


Paul Verlaine

32 comentários:

lamia disse...

;)

Elle est retrouvée!
Quoi? L' éternité.
C est la mar mêlée
Au soleil

Mon âme éternelle,
Observe ton voeu
Malgré la nuit seule
Et le jour en feu.

Donc tu te dégages
Des humains suffrages,
Des communs élans!
Tu voles selon...

— Jamais l' ésperance.
Pas d' oríetur.
Science et patience,
Le suplice est sur.

Plus de lendemain,
Braises de satin,
Votre ardeur
C' ést le devoir.

Elle est retrouvée!
— Quoi? — L' éternité.
C' est la mer mêlée
Au soleil.


Arthur Rimbaud


Que a tua ausência não se prolongue mais que o necessário. Temos saudades tuas.

Sophia disse...

Boas férias!
Levas na bagagemn o essencial!

;) Baci

eyes shut disse...

que o tragas o Mundo na bagagem...*

Camarada Choco disse...

Divulgação

Mais um Blog que se tornou um Livro!

www.camaradachoco.blogspot.com

Francisco disse...

Boas férias! (deduzo pela longa ausência!)

musqueteira disse...

...viva moriana...eu também aguardo pela chegada do inverno bem sentada no banco do tempo de malas feitas cheias de cor!
;) é a nova exposição que já está pronta e à espera do dito dia!

Mateso disse...

Voici que la saison décline


Voici que la saison décline,
L'ombre grandit, l'azur décroît,
Le vent fraîchit sur la colline,
L'oiseau frissonne, l'herbe a froid.

Août contre septembre lutte ;
L'océan n'a plus d'alcyon ;
Chaque jour perd une minute,
Chaque aurore pleure un rayon.

La mouche, comme prise au piège,
Est immobile à mon plafond ;
Et comme un blanc flocon de neige,
Petit à petit, l'été fond.

Victor Hugo (1802-1885)
(Recueil : Dernière gerbe)

Bom regresso.
Bj

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

"O mundo fica irreal, mas não me importo"

Joana disse...

Amiga,

espero que voltes com as baterias recarregadas e repleta de sonhos, sorrisos e estes momentos em que me fazes sentir eu! :)

Beijinho grande

adam disse...

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

laerce disse...

Olá Moriana,

Et voilà septembre! Verlaine não imaginaria setembro tórrido como estes primeiros dias. La brise est en retard.
bisous

Bruna Pereira disse...

Bom regressar e respirar ar fresco.
Aqui.

:)

bruno disse...

musalia, o público considera que a ausência já ganhou espaço demais à presença. então e os regressos?

um abraço bom.

ass.: mais um que acha que ausências já há muitas.

bruno .b.c disse...

ass.: mais um que acha que ausências já há muitas (agora mais identificável)

Noktivaguz disse...

já sinto falta das tuas palavras...

musalia disse...

lamia, gostei do poema de Rimbaud:)
(quanto a ausências, medir a sua necessária distância é algo difícil. mas aqui estou:)

musalia disse...

sophia, foram, vão sendo :)
tranquilidade é o essencial;)
bjs.

musalia disse...

eyes shut, e não temos, o mundo em nós?
:)

musalia disse...

então, camarada choco, boa aceitação desse livro/blog! :)

musalia disse...

francisco! férias de muita coisa...
bjs.

musalia disse...

musqueteira, logo me dirás, onde e quando :)
(fundo musical? belo, como o outro?)
:)

musalia disse...

mateso :), e o dia encurta, a sombra cresce, de facto!
obrigada, bj.

musalia disse...

tchinviguiro, a melhor realidade pode ser o irreal :)

musalia disse...

joana, sonhos que caibam dentro das casinhas que traças:)
obrigada, é sempre bom saber-te por aqui:)
bj.

musalia disse...

laerce, e setembro revoltou-se e ficou irregular:)
beijinhos

musalia disse...

bruna, gosto das correntes de ar quando o calor aperta;)

musalia disse...

bruno, segunda letra do alfabeto, o bom do abraço é o que te identifica :)
as verdadeiras partidas não têm regressos. a intermitência, faz desejar partir e regressar (a acumulação de verbos transmite-lhe dinâmica, ou seja, o ponto de partida é a chegada, também)

musalia disse...

jim, e eu de espreitar as tuas:)

bruno .b.c disse...

talvez, musalia. ou
talvez que as verdadeiras
partidas são aquelas em que
sentimos que só aí, verdadeiramente
regressamos.

abraço b.
(gostei muito dessa
segunda letra)
que os dias te
conheçam.

musalia disse...

bruno, sei dessas partidas, também. as que nos levam ao ponto inicial, não ao seu desvio (que, também ele, pode ser um regresso - neste, não acredito. daí, a impossibilidade)
26 abraços, de descoberta dos dias.

bruno .b.c disse...

confesso: tenho aqui um dois e um seis (juntinhos) a perguntarem porquê vinte e seis, e eu já os abracei, mas também já lhes disse não saber.

(isto fez-me pensar em blogar um textinho que há pouco tempo escrevi, curiosamente, sobre isto dos caminhos e regressos)

um, que seja assim: mesmo b.

musalia disse...

bruno, fico à espera do texto sobre estradas, metas e desvios.
podiam ter sido 23, como manda a tradição, mas juntei os omissos e guardei um para mim. dou-to agora e ficam 27, certinhos.
(não se esgotam, é sempre possível fazer o caminho de volta e vice-versa...neste caso)