6.12.07

...ao anoitecer


...há tal melancolia,

Que as sombras, o bulício,

o Tejo,

a maresia

Despertam-me um desejo absurdo

de sofrer



...E eu sigo,

como as linhas de uma pauta

A dupla correnteza augusta das fachadas...



Cesário Verde, O Sentimento de um Ocidental (excertos)



algumas horas, apenas, antes que o som estridente, apressado, de batedores e carros invada esta cidade que eu amo, e me arraste nesse torvelinho.
que passe depressa...
e eu possa a ti regressar, Lisboa...

10 comentários:

r.e. disse...

somos ambos apaixonados pelas mesmas ruas, pelos mesmos cheiros. cidade nossa. saudades tuas. beijinho. J.

Tinta no Bolso disse...

nestes dias podíamos fechar e ir para algures...

Sophia disse...

Acho que não há como não amar Lisboa quando se conhece por dentro!
Adorei a foto e tudo e tudo!

;) Baci

Andreia Ferreira disse...

Qua saudades tive eu agora de Lisboa... Eu, uma portuense que nem gostava da cidade até a conhecer por dentro (é mesmo isso Sophia.. :) ).

:)

Beijo!

Huckleberry Friend disse...

Ainda ontem passei pela Rua Augusta, com a melancolia de quem vê passar pessoas, prédios e luzes de Natal, mas sente que não está cá. Não tenho saído da cidade, mas digo, como tu:

que passe depressa...
e eu possa a ti regressar, Lisboa...

musalia disse...

Lisboa é uma cidade luminosa:)
(tudo acabado na nossa fac?)

musalia disse...

eu não posso...
tinta no bolso :)

musalia disse...

cada pedra, cada recanto, cada nesga de céu e rio...
:)
bj., sophia.

musalia disse...

eu também gosto do teu Porto, mesmo em dias cinzentos, andreia:)
bj.

musalia disse...

hucleberry friend, estou em Lisboa e não estou em Lisboa...nestes dias só poderei senti-la em correria louca...

que passe, é o que se deseja...
:)