21.3.08

E se, de repente ...




voassem dos teus olhos
duas pombas azuis?

Então, sim, poeta,
Cairia pela primeira vez no mundo
O espanto da Primavera completa

José Gomes Ferreira














foto de Bellz

10 comentários:

firmina12 disse...

bela imagem

Zig disse...

Quem me dera ser poeta!
Era como ter uma ligação directa
a um muito amado coração!

E ela, com a prosa certa
que este momento desperta,
me dava depois a sua mão!


Desculpa-me este poema ingénuo, mas como hoje é o dia dos poetas, "armei-me" num também...

laerce disse...

Olá Moriana,

Bela forma de falar da Primavera e logo este poeta.

Beijinhos e Boa Páscoa.

Von disse...

Sem primaveras,
sem rimas,
sem lugar para poemas,
fazendo murchar cada verso
para me ilibar
da culpa,
cada palavra que escrevo
está envolta
em segredo.

Um que pretendo
esconder,
num chão de terra vidrada.

E sobre esse vidro quente,
mudo,
quedo e transparente,
plantar
toda uma intenção:
a de me mostrar,
escrevendo.

Von

musalia disse...

também achei, muito suave :)

boa páscoa, firmina12.

musalia disse...

desculpa, porquê, amigo zig?
um poema que te segue a alma, ou o que gostarias acontecesse :)

boa páscoa.
um abraço.

musalia disse...

laerce, bonita a imagem no poema, achei também:)

boa páscoa.
(de segunda a sexta, passagem incerta;)

beijinhos.

musalia disse...

mas como esconder, se as palavras denunciam?...
(a menos que sejam palavras escondidas nas runas celtas, como a imagem, essa, sim, aí, pequenina...)

boa páscoa, von:)

Aldina Duarte disse...

Há olhos que de tão marcantes se parecem sempre com outros que já conhecemos e que, entretanto,
quase esquecemos.

Páscoa feliz!

Até sempre

musalia disse...

olhos lembram olhos e, no entanto, as expressões são sempre diferentes...

boa páscoa, aldina :)