22.4.08

como vais...
2434079349_8710b323d6_o.jpg

Estive lá, trabalhei uma semana. A tua porta estava fechada. Yuri não abre portas, a sua função é verificar se estão em bom estado para que possam manter-se cerradas. Tapa fissuras na madeira, cobre-as de tinta, pinceladas cuidadas mas firmes. Foi assim com a minha, dias partilhando o mesmo espaço, ele na porta, eu à secretária. Tempo leve, intercâmbio de saberes e experiências: técnicas de carpintaria embrulhadas em cirilico, cultura estranha a assomar em aconselhamento sentimental. Yuri, 25 anos mal amados, filhinha de 4. Eu a tentar perceber-lhe que dois e dois nem sempre são quatro e ele certo na conta, a abanar a cabeça, mãos abertas em incompreensão, não gosto dela, nunca gostei. Eu gosto é de outra, já gostava antes. Contas com resultados diferentes, nem tento explicar-lhe que a vida baralha as parcelas e confunde tudo. Porque tens a porta fechada? Porque os espaços precisam de silêncio quando nos ausentamos. Sorrio-lhe do outro lado da mesa e remexo o café. Yuri remexe a sua perplexidade, a abanar a cabeça, mãos abertas em incompreensão, porque não te casas?




fotografia de Dorota Wrobleskwa

12 comentários:

Divinius disse...

Lindo blog e lindas palavras:)

Sophia disse...

"porque os espaços precisam de silêncio"... verdade.

;) Baci

antónio paiva disse...

é, um mar de dúvidas, a murmurar mentes.

beijinho

CNS disse...

E do outro lado das portas que fechamos? O que fica?

um beijo

sophiarui disse...

tantas vezes essa frase... se casar fosse a solução para tapar as fissuras... se fosse...

abraço bom

musalia disse...

bem vindo a este espaço, divinus:)
obrigada pela gentileza das palavras. Volta sempre.

musalia disse...

Precisam. E não só os espaços, sophia:)

bjs.

musalia disse...

poucas certezas acertando com as dúvidas, parece.
(mentes a alimentarem-se de dúvidas ou, vestindo o verbo..."minto até quando digo que minto" JLP ;)

beijinho, antónio paiva - é sempre bom cruzar-me contigo:)

musalia disse...

cns, não sei, depende de quem as fecha e o motivo porque as fecha :)

bj.

musalia disse...

aqui, é, foi, decididamente, a expressão de uma cultura diferente :)
tomando à letra o texto...

abraço, sophiarui.

laerce disse...

É verdade, as contas nem sempre são tão evidentes. E as portas nem sempre estão abertas. Valem esses momentos em que há algo em comum, nem que seja remexer perpelxidades.

Beijinhos, moriana

musalia disse...

é preciso repetir os pontos cardeais. para os aprender.
as portas também querem sossego, ou outras maõs as abrem. mudamos de espaços...por vezes.
mudar pode ser bom :)

bjs., laerce.