24.3.07

Nothing more but nothing less...

Promise me no promises,
So will I not promise you:
Keep we both our liberties,
Never false and never true:
Let us hold the die uncast,
Free to come as free to go:
For I cannot know your past,
And of mine what can you know?

christina georgina rossetti



os meus dedos dizem os teus olhos dentro das palavras que nunca escrevo e eu sei somente sei os teus olhos em palavras por cumprir

45 comentários:

nameless as a desire disse...

Oh, I can smile for you, and tilt my head,
And drink your rushing words with eager lips,
And paint my mouth for you a fragrant red,
And trace your brows with tutored finger-tips. (...)
And you believe, so well I know my part,
That I am gay as morning, light as snow,
And all the straining things within my heart
You'll never know.

D.P. - A Certain Lady

musalia disse...

(...)
nor can you ever see
The thousand little deaths my heart has died.

Dorothy Parker - A Certain Lady

também...

"Hope" is the thing with feathers—
That perches in the soul—
And sings the tune without the words—
And never stops—at all— (...)
I've heard it in the chillest land—
And on the strangest Sea—
Yet, never, in Extremity,
It asked a crumb—of Me.

Emily Dickinson

excelente fim de semana, nameless as a desire.

laerce disse...

moriana,

não escrever é simplesmente não cumprir o que se sabe.

um beijinho, bom domingo.

Lumife disse...

BOM FIM DE SEMANA COM LA TRAVIATA...

Lumife


Espectacular...

http://www.dailymotion.com/swf/2NuaeFcjOY4up4W5F


Também o/a convidamos a estar presente no 2º ENCONTRO DE BLOGS EM ALVITO.

Veja as notícias nos blogs da Organização:

BEJA http://bxalentejo.blogspot.com

GASTR'EAT http://gastreat.blogspot.com

ALVITRANDO http://alvitrando.blogs.sapo.pt

MAR ADENTRO http://maradentro.blogs.sapo.pt

Pedro Branco disse...

O meu olhar recusa-te a magia das palavras. Aprisiono-te os dedos para nunca me amares. Rasgo-te as folhas em branco. Invento mil e uma tarefas, tão cheias que nem te lembres de mim. Vasculho as tuas canetas e roubo-lhes as tintas. Inverto as legendas da televisão e risco os livros de negro. Escondo tudo o que seja transparente. Apago as memórias e as canções. Corto a electricidade. Fecho a porta à chave para que possas fugir de mim para sempre. Ao ter-me preso. Só assim os espelhos se partirão.

sophiarui disse...

e nunca uns dedos disseram tanto...

abraço terno

Sophia disse...

E num dizer assim fica dito quanto baste...

Baci

sotavento disse...

De qualquer forma, não há nos dedos tinta suficiente, para escrever as palavras que os olhos cumprem!... :)

musalia disse...

laerce

nem sempre o que se sabe é dizível por palavras...ou então não se diz, deliberadamente. não acordar o que está adormecido, também.

beijinhos (bom trabalho e...excelente descanso)

musalia disse...

lunife, bem vindo a este pequeno espaço:) gosto muito de canto lírico...Traviata? talvez...

já vi o programa, é aliciante. obrigada.

um abraço, volta sempre:)

musalia disse...

Pedro Branco

terrível vingança a tua. sete anos de azar, dizem. quando se partem espelhos. melhor fora aceitares que não escreva os signos onde se dizem os olhos.

um abraço.

musalia disse...

sophiarui, verdade. mesmo verdade.
(o que é a verdade?;)

outro, igualmente terno.

musalia disse...

sotinha!:) de regresso?
tinteiros, há tinteiros facetados, com tampinha de prata, bordada. lindissimos. e tinta, azul bizâncio.
mas nem assim o diriam, é certo.

beijocas.

musalia disse...

sophia:) quanto baste é já tanto! coisa muita.

baci.

agua_quente disse...

Os teus dedos escrevem palavras de beleza tal... Como poderão ser as que tais olhos descrevem? :)
Beijos

aldina disse...

As palavras, por vezes, são um complemento (in)dependente do olhar, este por sua vez faz-se ouvir... olhando-o simplesmente.

Até sempre

Bruna Pereira disse...

Os olhos dizem tanto, choram tanto, olham tanto... São tanto mais do que só olhos. São os poetas da cara. E brilham.

:)

Unicus disse...

Mas a magia das palavras reside em ti..
Beijo, Moriana

Verde disse...

Nasci do sublime amor de um Deus e o azul do arco-íris, navego em um mar de luz, transformo cor em amor, sou aquele que te dirá onde pára o eco da palavra…

Profético beijo

© Cláudia disse...

Os olhos guardam palavras que os dedos temem escrever
Beijos

Rui Luís Lima disse...

olá

se gostas de cinema vem visitar-nos em

www.paixoesedesejos.blogspot.com

todos os dias falamos de um filme diferente

paula e rui lima

mitro disse...

Prendeu-se como grilhão e nem sequer é promessa!

Mas é tormento...

Alguns chamam-lhe amor!

bruno .b.c disse...

nothing more but nothing
less
: as mãos indagam
a medida justa, o fino eixo
a estreita passagem. isto e mais
qualquer coisinha, tudo e
nada para pedir-te que deixes
um ou dois abraços meus, a uma
ou duas casas, aí
em praga.

quando regressares, podes
se sobrarem, trazer alguns
contigo.

um beijo.

della-porther disse...

Musalia

bonito, mas muito bonito e intenso o seu lugar. adorei.

um abraço


della

helena disse...

Os teus dedos são mágicos, como o é toda a tua escrita, minha querida
Beijos

somelight disse...

Descobri a pouco tempo o teu blg e amei as palavras escritas e o secretismo das imagens...mas tenho de ir num Breve Adeus!

Cometa 2000 disse...

Este blog comove-me.

aquilária disse...

o que não dizem as palavras, dizem-no o gesto ou silêncio.


abraço

Sophia disse...

E nas palavras que nunca escreves estará o augúrio do teu regresso?
A tua ausência é notada!

;) Baci

musalia disse...

são silenciosas ;)
beijos, água-quente.

musalia disse...

e terás razão, aldina :)
complementos, um do outro. por vezes (há olhares que 'mentem', assim como também há inverdades nas palavras)

um abraço.

musalia disse...

brilham e tremeluzem, como estrelas. os olhos. as palavras também;)

até já, bruna.

musalia disse...

a magia...no que obsaervamos, talvez.
um beijo, unicus.

musalia disse...

bem vindo, verde:) diz-me, então, onde está o eco da palavra.
volta sempre.

musalia disse...

cláudia, por vezes:) outras vezes, é mais benéfico o silêncio. dos signos. podemos sempre imaginar...

um abraço.

musalia disse...

paula e rui, eu sei do vosso espaço, há muito tempo:) sempre que posso, sento-me no primeiro balcão.

musalia disse...

mitro, pois é, será. amor, afecto, ou sei lá bem o quê. o quê?...

musalia disse...

bruno. tanta ausência, mas sei que compreendes. pelos beijos pedidos e dados. às casas :)
voltaram, na bagagem. com palavras à mistura.

outro beijo, sem casas nem palavras. apenas beijo.

musalia disse...

della-porther, gentileza a tua. no olhar, nas palavras, na apreciação.

volta sempre.
um abraço.

musalia disse...

querida helena, um beijo. azul, como gostas.
(magia nenhuma, dedos desajeitados)

musalia disse...

somelight, és bem vinda:) obrigada pelas palavras gentis.
volta sempre.
um abraço.

musalia disse...

cometa 2000, não chores como Alice ou inundas a página. brinco, claro. és gentil:) volta sempre.

musalia disse...

aquilária, tão certo o que dizes!

um abraço grande, grande.

musalia disse...

sophia, menina linda, aqui estou. prenúncio ou não, regressei:)

baci.

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

...*