3.6.07

...




as sombras. oiço-lhes o ruído desarrumando-me os desassossegos


foto de Snjezana Josipovic

26 comentários:

Mateso disse...

mas as sombras são a alma em movimentos ...perdidos ... no cinzento ...dos espaços.

Lindo.

Nando disse...

Ocorre-me Emily Dickinson,

The show is not the show,
But they that go.
Menagerie to me,
My neighbor be.
Fair play -
Both went to see.

Noktivaguz disse...

Numa noite de luar...

Cristina Nobre Soares disse...

E os desassossegos não serão os nossos medos arrumados no silêncio?

inês leal, 31 anos à volta do sol disse...

assossegando-te, portanto...*

nameless as a desire disse...

Só existem sombras onde há luz, ruído onde havia silêncios e os desassossegos, na sua grande maioria, são fecundos. Face ao exposto, o quadro parece-me magnífico. :D

Unicus disse...

As sombras são fruto da luz. Logo, o quadro parece-me perfeito.
Beijinhos, Moriana

Nando disse...

E, quando já idealizámos, sob a materialidade e animação de um objecto, o que não está lá, tornando-se um cristal em cangalhos, apenas. E, quando se aparta de nós essa esfera ideal debaixo de um corpo concreto que alimentámos, não é um morto que acode? E depois um fantasma, um fantasma que quer existir? E existir junto de nós. E, para ser aqui, tem de mudar o seu estado e natureza, afeiçoar-se a um perfil existencial: necessitará primeiro de uma sombra. Depois, quem o tolde, dando-lhe um carácter, um timbre, uma forma, ainda que difusa, em acordo com uma matriz, um modelo, uma ideia: é esse que nos acaricia à noite. O vulto que nos sussurra no alvor. Em busca do seu corpo. Restolho. Refaz-se a mudança: o amor das sombras é uma forma de amor. O desgosto do corpo. Porquanto amamos agora o distante mais do que o próximo, porque este se declara no sobressalto do pardo, acariciando quando baqueia no escuro profundo. Fina-se até ao estilhaço de um eco unicamente, instante de uma reminiscência, uma inspiração… ou respiração. E não pode ser um delírio, senão isso, um frémito nas trevas, aparição por nomear. Um silêncio, afinal: já não ouço, excepto ecos-memórias de antanho. O morto morreu mesmo.
Quem me dera escutar e perceber esses ruídos que declaras. Atender a insinuação de comparências reanimadoras, que podem refundar o que resta de todos os amores que outrora na consequência e fruteza moram na tibieza dos dias, pendentes dos seus acordes e passos estugados, na insistência de afrouxarem a duração, reterem os corpos e os embuços que simulam o que já foi, não logrando reinventar o vindouro, porque, como cansados no barulho da ajuntada da turba, estão sós. Sombras. Expectantes ainda de avatares que tornam o mesmo no diferente e o diferente no que era.
Por isso, todos hão-de ir ver o seu próprio espectáculo, num espelho que devolve sombras e corpos mutilados. À noite, enquanto dormem.
Sombras. Silhuetas. Desta guisa, nunca estamos radicalmente sós. Virtualizamos.

“Remorso por qualquer morte”

Já livre da memória e da esperança, quase futuro, ilimitado, abstracto, não é um morto, o morto: ele é a morte. (…) o morto ubiquamente alheio é só a perdição e ausência do mundo. Roubamos-lhe tudo, não lhe deixamos nem uma cor nem uma sílaba: é este o pátio que os seus olhos já não partilham e aquele o passeio onde perscrutou a sua esperança. Até o que pensamos ele poderia pensar; repartimos por nós como ladrões todo o caudal das noites e dos dias.”

Jorge Luís Borges.

musalia disse...

mateso

as sombras podem ser protectoras. mas podem ser, também, perturbadoras, motivo de instabilidade...

musalia disse...

:)

We play at paste,
Till qualified for pearl,
Then drop the paste,
And deem ourself a fool.
The shapes, though, were similar,
And our new hands
Learned gem-tactics
Practising sands.

E.D.

musalia disse...

Jim, numa noite d eluar aparecem todas as angústias e não se divisam as estrelas...

beijo.

musalia disse...

cristina, talvez, em gavetinhas cor-de-rosa :)

musalia disse...

inês, por vezes, às vezes :)

musalia disse...

nameless as a desire

concordo. mas...o silêncio, não pode, ele mesmo, ser um ruído?

musalia disse...

unicus, interessante:

sombras e luz...
de quadros também falas...
a perfeição não existe.

nameless as a desire disse...

Sim, sem dúvida... quando nos oprime, quando nos inquieta, é ensurdecedor.

musalia disse...

nando, de novo,

estamos sós, com as sombras. com os desassossegos.
experimenta 'ouvir-te', haverá ruído.

laerce disse...

as sombras que conhecemos são reconfortantes e cheias de segredos, as outras são inquietantes.

Um beijinho

© Cláudia disse...

Sombras que nos despertam... que nos acordam e nos perseguem...
Memórias... de um viver

musalia disse...

laerce

tememos o que não conhecemos? será?...

beijinhos.

musalia disse...

Claudia, olá, faz tempo:)

sombras que nos acolhem, sobretudo neste calor que já soa.

ana disse...

lindíssimo!

musalia disse...

ana:) obrigada pela gentileza.
volta sempre.

Sophia disse...

As sombras têm tendência p'ra conseguir criar grandes confusões!

;) Baci

musalia disse...

sophia, mas revelam o que o dia nos encandeia o olhar;)

bjs.

日月神教-向左使 disse...

AV,無碼,a片免費看,自拍貼圖,伊莉,微風論壇,成人聊天室,成人電影,成人文學,成人貼圖區,成人網站,一葉情貼圖片區,色情漫畫,言情小說,情色論壇,臺灣情色網,色情影片,色情,成人影城,080視訊聊天室,a片,A漫,h漫,麗的色遊戲,同志色教館,AV女優,SEX,咆哮小老鼠,85cc免費影片,正妹牆,ut聊天室,豆豆聊天室,聊天室,情色小說,aio,成人,微風成人,做愛,成人貼圖,18成人,嘟嘟成人網,aio交友愛情館,情色文學,色情小說,色情網站,情色,A片下載,嘟嘟情人色網,成人影片,成人圖片,成人文章,成人小說,成人漫畫,視訊聊天室,性愛,性感影片,正妹,聊天室,
情色論壇