9.3.08

Não entres docilmente na noite serena
Odeia, odeia a luz que começa a morrer

Dylan Thomas







(...)
O ódio tem a força de quem se despedaça. Eu tenho o sofrimento daquilo que se desfaz.
Daniel Faria














foto de andrzei makal

6 comentários:

Joana disse...

Às vezes as palavras deixam-nos voar na intensidade da mensagem.

O ódio, tem tanto de cobarde como sentimental, não é?

Beijinho grande

firmina12 disse...

amo descaradamente os poemas do daniel faria

musalia disse...

ódio tem força de paixão, talvez. melhor ódio que indiferença, ouvi dizer.
ódio não sou capaz, indiferença sim.

beijinho grande, joana:)

musalia disse...

firmina12, também eu:)

laerce disse...

Olá,

a imagem é muito gira. Os poemas também. O ódio é também uma forma de se estar vivo.

Beijinhos

musalia disse...

olá!
(continuas a tarefa?)

é, é isso: uma forma de sobrevivência.

beijinhos.